Riscos Políticos – Você já conhece esse seguro?

As empresas brasileiras ampliam cada vez mais os investimentos externos. Esse fenômeno trouxe ao mercado nacional um novo tipo de seguro, o seguro de Riscos Políticos. Por tratar-se de um seguro pouco comum ao dia-a-dia de empresas e corretores, é normal que muitos ainda tenham dúvidas sobre as características desse produto.

 

Normalmente esse tipo de seguro é contratado por empresas multinacionais para se protegerem de riscos políticos, sejam nos seus países de origem, sejam nos países onde possuem filiais. Brasil, Argentina, China e Rússia, entre outros, estão entre os principais locais segurados. Essas apólices não são normalmente contratadas para apenas um único país, mas para múltiplos países, onde o segurado mantém operação.

 

Pela natureza dos riscos, os contratos têm prazos mais longos que os normalmente aqui praticados. Não é raro identificarmos prazos de vigência de até 15 anos, mas isso não impede a contratação por prazos menores, de 3 ou 5 anos.

 

O contrato de riscos políticos cobre basicamente três situações: i) expropriação, ii) inconvertibilidade de moeda e iii) o risco de violência política. Tais situações podem ter coberturas isoladas ou ainda combinadas em diferentes partes do globo, por exemplo, a expropriação em um investimento na Rússia e/ou a inconvertibilidade de moeda na Argentina e assim por diante.

 

No Brasil não temos casos recentes que possam justificar indenizações por parte desse seguro. O último evento que pôde ensejar uma eventual indenização no nosso país aconteceu ainda na década de 80, com a decretação da moratória. O Brasil tem sido um território seguro para os investimentos externos, e está sendo visto dessa forma pelos players internacionais, com estabilidade e instituições que funcionam adequadamente. Isso não quer dizer, porém, que os governos, ou os países, não mudem. O seguro é para a incerteza, para dar proteção, haja o que houver nos próximos 15 anos.

 

No que se refere às taxas praticadas, existe uma gradação de risco entre países. Atualmente existem locais onde as taxas praticadas tendem a ser mais elevadas, como na Venezuela, onde há uma preocupação maior com o segmento petrolífero e energia, na Colômbia, ou mesmo nos países árabes, onde têm crescido bastante os investimentos e negócios brasileiros.

 

Uma particularidade dos seguros de Risco Político é que, uma vez contratada a apólice, não é permitido, nem à seguradora, nem ao segurado, alterarem a  cobertura por todo o prazo contratado do seguro. Em tese, o prêmio não pode ser aumentado, nem tampouco as condições podem ser alteradas para que determinado risco, ou outra questão, sofra mudanças. É uma segurança para o cliente, a qual é expressamente prevista em contrato para dar garantias pelo tempo da apólice.

You can follow any responses to this entry through the RSS 2.0 feed. Both comments and pings are currently closed.

100 Comments »